O Mestre dos Mestres

O Mestre dos Mestres
M. Ueshiba - O Sensei - Grão Mestre

Vídeo - Aikido Infantil

Loading...
Google

Visita à Passo Fundo em 26/02

SEJA BEM VINDO

Este Blog é dedicado às pessoas cuja motivação de vida seja o crescimento como ser humano. Admitindo-se que este passa pela opção de valorizar o SER em detrimento do TER e também pela difícil opção consciente que todos os grandes mestres pregam, que é a necessidade de priorizar em primeiro lugar o seu ser, pois este só poderá ser produtivo para os outros na medida em que estiver bem nos planos; físico, mental e espiritual.

Para publicar comentário, em um dos Post, CLIK em comentários, abaixo do texto escolhido.
POSTAGENS
Logo abaixo você sempre encontrara os três ultimos textos publicados.
Para recuperar textos mais antigos, navegue até o final do Blog e clik no link "Postagens mais antigas"

terça-feira, 25 de março de 2008

FORMADORES DE AÇÃO POSITIVA

Seguidamente, tenho feito referência à importância que tem a ação de cada um de nós como pessoa, e o quanto isto influi nas pessoas e seres de modo geral, que convivem com a gente. Todas as referências aqui colocadas servem para qualquer pessoa, mas principalmente para os praticantes de Aikido. Digo isto tendo em vista que, via de regra, os praticantes de Aikido, são "formadores de opinião, e se não são, acabam com o tempo se tornando, isto acontece por se destacarem em suas atividade, e passarem a ser referencia para outros, isto acontece, por desenvolver, através da pratica das técnicas de Aikido, características e qualidades, tais como: pro-atividade, objetividade, altruísmo, equilíbrio e centramento.
Mas na realidade o que eu quero marcar aqui não é a necessidade de formadores de opinião, mas sim a de formadores de ação (Desconheço se já existe esta expressão, mas se nunca foi usada, vamos considerar criada a partir de agora.)
O que é um formador de ação? É aquele que influencia ou modifica comportamentos, hábitos, atitudes e ações em outros seres, mas através das suas ações e não através de palavras.

Para entendermos com mais clareza o assunto é significativo olhar o que diz o primatologista holandês Frans de Waal, autor do livro
The Ape and The Sushi Master
(O macaco e o sushiman, sem tradução no Brasil).
"Há quase 50 anos, na pequena ilha de Koshima, no Japão, Imo, um jovem macaco que gostava de batata-doce, teve um insight que mudaria para sempre o hábito alimentar da sua espécie. Num dia de Setembro de 1953, ele não levou a batata diretamente à boca, como faziam todos os outros animais. Ninguém sabe ao certo se ele percebeu que a terra suja desgastava seus dentes. Ou se ele achou mais saboroso comer ela limpa. O fato é que Imo começou a lavar a batata antes de comer, como faria qualquer dona-de-casa. No começo, ele apenas mergulhou a batata num pequeno braço d'água que corria em direção ao mar. Depois, aperfeiçoou a técnica: enquanto afundava a batata na água com uma das mãos, aproveitava a outra para retirar a lama mais aderente. Três meses depois, dois amigos dele começaram a fazer o mesmo e o hábito se espalhou pelos irmãos mais velhos, foi repetido pelas mães, numa espécie de reação em cadeia. Em cinco anos, mais de três quartos dos jovens da espécie lavavam a batata exatamente como Imo.”
Hoje, comer a batata limpa é uma característica das novas gerações de macacos da ilha de Koshima.
A descoberta de Imo pode parecer banal, mas obrigou os cientistas a reverem para sempre a forma como viam os animais e a espécie humana.
Frans de Wall, afirma.
“O fato de Imo transmitir uma nova técnica para outros de sua espécie e isto se propagar, para outras gerações, é uma das provas de que alguns animais também têm um dom que era considerado exclusivo do homem: a cultura. Precisamos reconhecer que está caindo uma das últimas barreiras que nos separam das outras espécies, é claro que cultura, nesse caso, não significa a capacidade para escrever obras literárias ou pintar quadros cubistas. Cultura é um comportamento transmitido socialmente que não é adquirido individualmente nem geneticamente, é algo que se aprende com os outros, como a técnica de lavar batata dos macacos japoneses."

Mas antes de concluirmos a leitura deste texto e refletirmos profundamente, sobre ele, é preciso distinguir as ações positivas das negativas. Temos que entender a importância e a necessidade de termos ações positivas, para poder ser um formador de ações positivas. E como saber o que são ações positivas? Na realidade, é muito simples, é só agir com o mundo e com os outros seres, sejam eles pessoas, animais ou coisas, da mesma maneira que gostaríamos que agissem conosco se fossemos, nós, aquele ser, aquele animal ou aquele objeto "inanimado".
O Budismo já diz a muito que a nossa mente é como um macaquinho travesso, que é quase impossível controlar o que ele faz, e tenta através da prática da meditação, acalmar a mente, mas já que não podemos lutar contra os pensamentos e contra os nossos falsos e dissimulados discursos, quem sabe, vamos então através de uma firme atitude, mudar nossas ações. A mudança deve começar em nós e não nos outros.
Vamos lá meu "Big brother", vamos lavar bem direitinho e com carinho a as nossas BATATAS, pois sempre tem alguém olhando, e agora você já sabe o quanto são importantes as tuas ações para o mundo, pare de dar tanta importância para o que diz e pensa e "VÁ LAVAR BATATAS".
R. Vargas

3 comentários:

Nadya disse...

Achei muito apropriado o texto escrito dia 25 de março. Não ando treinando muito devido a compromissos profissionais assumidos conscientemente mas ando lavando batatas. Naturalmente muitos na minha volta já estão fazendo o mesmo. Fico por aqui pois o melhor é agir e nao falar, como já disse o mestre.

Nádya

Felipe Marquardt disse...

Como certeza tudo seria diferente se os formadores de ação fossem mais frequentes ao dar o exemplo positivo.

O trânsito não seria o caos, as ruas seriam mais limpas... devemos criar a cultura da melhor eduação e respeito ao proximo aqui no brasil.

Omar disse...

Ficou bom o novo visual do blog. Grande Abraço
Omar